A batalha das chuteiras cano alto

Mudando um pouco o tema do blog, vou falar agora de chuteiras, essa última semana fui bombardeado de informações sobre o lançamento da chuteira da da Nike, magista, a primeira chuteira de cano longo, que será usada por Iniesta, Thiago Silva, David Luiz, Mario Götze, entre outros. Por sinal uma dúvida, como amarra o cadarço desse treco?!

NIKE_MAGISTA_VOLT_HYPERPUNCH_1_originalNo dia do lançamento da chuteira da nike, a adidas divulga nas redes sociais, a sua chuteira de cano longo, no caso só um protótipo dela.

adidas
O que só me força a ideia que eu tenho sobre essa batalhas de chuteiras, de que de um tempo pra cá adidas tenta copiar a nike. Vou dizer por que tenho essa impressão:

Como jogador amador de fim de semana tenho uma chuteira, e sempre dei preferência pelas adidas predator, pois sempre foram confortáveis no meu pé e por sempre que saía um modelo novo a primeira cor lançada era preta (sim, não uso chuteira colorida de modo algum, só compro chuteiras com a cor predominante preta). E isso mudou, ambas as marcas esse ano lançaram chuteiras com cores muito parecidas, cores vivas e fortes, deixando os amantes de chuteiras pretas como eu, sem modelos nessa cor (obrigado mizuno por ainda fazer chuteira nessa cor, por sinal muito boa e durável).

E essa jogada da adidas mostrar um prototipo enquanto a nike já mostrou um produto pronto só ressaltou pra mim esse aspecto: Que NA MINHA OPINIÃO, apesar da adidas ser a marca a ser batida quando falamos de uniformes de times, de que quando falamos de chuteiras, ela está correndo atrás da nike. Abro aqui uma discussão sobre o assunto para quem quiser participar nos comentários, mas assim como a campanha que rola no youtube, vamos ser educados nos comentários também, sem ofensas =]

Vale a pena dar uma lida também no blog do Eric Beting falando sobre a campanha de marketing das duas empresas:
http://negociosdoesporte.blogosfera.uol.com.br/2014/03/07/a-trapalhada-da-adidas-na-chuteira-meiao/

Esse post foi publicado em Informações Gerais e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para A batalha das chuteiras cano alto

  1. zeluiz25 disse:

    Acho que esse lance de uma empresa tentar copiar a outra na ideia de um novo produto é absolutamente normal, afinal estamos falando das duas lideres mundiais no mercado de material esportivo. Seria temerário qualquer uma das duas ver o concorrente lançar algo inovador e não esboçar nenhuma ração (mesmo que, com o tempo, a tal inovação possa se mostrar um fracasso). Não há muita margem pra erro num mercado tão grande e competitivo.

    Com relação às chuteiras em si, Ambas não me parecem lá muito confortáveis (principalmente o protótipo da Adidas), mas só dá pra descobrir de fato botando no pé.

    E eu não tenho nada contra chuteiras mais coloridas, embora algumas parecem ter sido feitas pra serem vistas do espaço, o que já é um certo exagero… Mas a minha chuteira de jogo também é preta.

  2. Admin disse:

    Justo Zé Luiz, mas você acha que nike, adidas e puma copiam um ao outro na hora de confeccionar suas camisas?

  3. zeluiz25 disse:

    Depende… Obviamente não copiaram layouts específicos de camisas, mas certamente há certas iniciativas que foram sim implementadas por empresas de material esportivo com base no sucesso que o concorrente fez junto ao público.
    Citando alguns exemplos dessa tendência de “cópia”: até o início da década de 90 não existia muita preocupação com o material com o qual as camisas eram confeccionadas. Mas, à medida que as empresas líderes no mercado começaram a anunciar a criação de “tecidos inteligentes” que facilitavam a transpiração, diminuíam o peso do uniforme, entre outras supostas vantagens tecnológicas, praticamente todas as outras fornecedoras de material esportivo começaram a investir neste tipo de tecnologia como forma de “não ficarem para trás”. Hoje basta comprar qualquer camisa de clube, não importa o fornecedor, pra ver alguma etiqueta explicando ao consumidor que aquele tecido é feito com um “material X”, super inovador e revolucionário. Virou lugar comum.

    Outro exemplo mais recente que me recordo agora é o caso da Umbro, que iniciou uma pequena revolução no universo dos uniformes de futebol quando em 2009 confeccionou uma camisa bastante diferente do padrão habitual da época para a seleção inglesa (https://camisadefutebol.wordpress.com/2009/03/29/a-nova-camisa-da-ingalterra/), quase como uma camisa polo, meio retrô. Lembro que tal inciativa no início dividiu opiniões, mas não demorou muito para que ela se tornasse um sucesso de vendas. Pois bem: reparem como, a partir dessa camisa, aumentou significativamente o número de fornecedoras de material esportivo que passaram a criar uniformes com características típicas (golas clássicas, colarinhos, botões, visuais mais “clean”, entre outras) dessa tendência retrô lançada pela Umbro.

    Deixo claro que estes meus exemplos não tem nenhum embasamento mercadológico mais aprofundado, mas acho que eles servem pra demonstrar por alto como eu acho que essa influência existe e afeta as empresas concorrentes.

  4. Camisas disse:

    Eu prefiro as chuteiras tradicionais

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s